artigos
Convibra Conference - O Aumento da Obesidade Infantil Durante a Pandemia da Covid-19
O Aumento da Obesidade Infantil Durante a Pandemia da Covid-19

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Evidências científicas e relatos de experiência sobre Covid-19

Temas Correlatos: Administração Pública;

Acessos neste artigo: 92


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE ESTE TRABALHO

AUTORIA

Amelia Toledo Da Silva Bauduina , Maria Alice T. S. Bauduina , Cristina Ribeiro Macedo , Italla Maria Pinheiro Bezerra , Eloiza Toledo Bauduina

ABSTRACT
Introdução: O isolamento social imposto pela pandemia da Covid-19 determinou a suspensão das atividades presenciais escolares e proibiu atividades ao ar livre, causando a permanência frequente da família no ambiente doméstico. Com as restrições presentes na pandemia, as formas de ofertar lazer para a população foram modificadas,  fazendo com que as crianças estejam em contato com dispositivos eletrônicos em boa parte do tempo, o  que associado ao consumo de alimentos processados contribuíram de forma direta para o ganho de peso, consequentemente determinou um aumento no índice de obesidade em crianças e adolescentes. Objetivo: descrever os aspectos que envolvem o sobrepeso e obesidade infantil no período de isolamento imposto pela pandemia da COVID-19. Métodos: Estudo reflexivo consubstanciado por fontes secundárias da literatura pertinentes à temática, considerando artigos de periódicos nacionais e internacionais e produções recentes sobre obesidade pediátrica, COVID-19, dieta, alimentos e nutrição, publicados no período de 2019 a maio de 2021. Resultados:  O período de distanciamento, aumentou o consumo de alimentos gordurosos de baixo valor nutricional e a permanência das crianças diante das telas contribuindo para o desenvolvimento de quadros de ansiedade e distúrbios emocionais contribuindo para o   aumento no peso das crianças e adolescentes gerando, o que pode ser considerado uma pandemia de obesidade infantil. Conclusão: A obesidade infantil é um grave problema de saúde publica e tornou-se mais preocupante durante a pandemia, pois o peso excessivo contribui para o desenvolvimento de varias doenças e aumenta as chances de crianças e adolescentes desenvolverem a forma grave da COVID-19. É necessário o desenvolvimento de estratégias que promovam a saúde de forma integral, com o objetivo de reduzir  impactos trazidos por situações adversas, proporcionando   melhor qualidade de vida.
Palavras-chave: Obesidade pediátrica. COVID-19. Alimentos, Dieta e Nutrição.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Isabella Fonseca Moreira 26-10-2021 20:25:02

Tema interessante, atual, e bastante curioso. O texto possui escrita bastante didática, de forma a conduzir ao claro entendimento de cada aspecto abordado, e de cada ideia transmitida ao decorrer do texto, que possui em si um estudo da arte altamente qualificado em relação ao tema abordado. Apenas uma observação, na página 6, no último parágrafo, em relação a março, que é citado, falta o complemento sobre que ano se refere, sugiro que haja uma complementação. Parabéns, pelo belo trabalho!

Foto do Usuário Diane Carla Da Silva Alves 27-10-2021 10:50:30

Trabalho excelente, tema importante e necessário de ser abordado. As crianças foram fortemente impactadas pela pandemia, apesar das aulas on-line, onde muitas delas não tiveram acesso, a socialização é fundamental para um bom desenvolvimento. Além disso, em relação à nutrição, as escolas exercem um papel importante no incentivo de uma alimentação mais saudável, muitas vezes proporcionando experiências que não são vividas em casa, por maus hábitos alimentares dos familiares, ou até mesmo pela falta de recursos.

Foto do Usuário Francisco Gilberlânio De Araújo 03-11-2021 20:23:39

Primeiramente parabéns pelo trabalho, trata-se de um tema bastante pertinente com o cenário atual, haja vista que muitas crianças ainda não retornaram para atividades escolares de maneira 100% presencial. Em muitas famílias, o hábito de alimentação saudável já é bastante ineficiente, seja por questões culturais, por restrição orçamentária ou por falta de conhecimento. Essa pesquisa, dar um insight para a atenção que o tema requer no período pós pandemia, uma vez que os distúrbios de ansiedade, o sedentarismo e em alguns casos, um certo “vício” por eletrônicos desenvolvido durante a pandemia, terão que ser bem trabalhados para melhorar a qualidade de vida das crianças e adolescentes. Mais uma vez, parabéns pela pesquisa.

Foto do Usuário Isabela Gomes Cardoso 05-11-2021 21:37:31

Parabéns aos autores pela temática e pelo trabalho, muito pertinente e importante! De fato, a obesidade infantil se tornou uma preocupação ainda maior neste período da pandemia. Pode-se associar também o aumento da insegurança alimentar e nutricional na população, visto que o acesso à uma alimentação saudável e de qualidade foi dificultada ainda mais. Uma sugestão para a metodologia: Abordar quais bases de dados da literatura foram utilizadas para a pesquisa desta revisão, em quais idiomas e se os termos foram pesquisados juntos ou separados.

Foto do Usuário Gabriela Machado Daniel Da Cruz 11-11-2021 06:57:21

Parabéns pelo trabalho, um tema muito relevante! Acredito que a discussão do assunto vai ganhar ainda mais importância ao longo dos anos, obviamente não com relação à pandemia (pois confiamos que essa está próxima do fim), mas a ligação do tempo médio que crianças passam diariamente em frente a telas x obesidade, pois a obesidade infantil já vinha aumentando muito nos últimos anos, e com a pandemia esses números ficaram ainda mais críticos. Há a necessidade de se pensar em estratégias que possam diminuir os efeitos negativos que pandemia causou nas crianças, e pode ser uma boa hora para que temas relacionados ao sedentarismo infantil, má alimentação e excesso na utilização de telas ganhem maior destaque, pois futuramente esse pode se tornar um grave problema de saúde pública.

Utilizamos cookies essenciais para o funcionamento do site de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.