Internet das Coisas; Privacidade, Marcos Regulatórios e Consumo

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Gestão estratégica

Acessos neste artigo: 13


Certificado de publicação:
Certificado de James Cleiton de Oliveira Sá

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

James Cleiton De Oliveira Sá , Edson Aparecida Araujo Querido Oliveira , Luiz Antonio Perrone Ferreira De Brito

ABSTRACT
O aumento exponencial dos objetos inteligentes com capacidade de sensoriamento, processamento e comunicação tem tido aceleração em progressão geométrica nos últimos anos. Neste cenário, a Internet das Coisas ou, como é mais conhecida a Internet of Things (IoT)) conecta estes objetos à Internet e promove a comunicação entre usuários e dispositivos. A IoT possibilita uma grande quantidade de novas aplicações, tais como cidades inteligentes, saúde e automação de ambientes. Por outro lado, existem diversos desafios que devemos enfrentar no âmbito social, jurídico, teórico e prático. Para responder a algumas dessas questões, precisamos vencer alguns desafios como, por exemplo, definir novos conceitos menos ou mais flexíveis para privacidade e segurança de dados ou efetivar marcos regulatórios rígidos e globais que mantenham mínimos éticos aceitáveis para todos os países. Seja qual for a conduta a ser adotada é inevitável que isto trará consequências para uma sociedade pós-moderna caracterizada pelo consumismo que otimiza seus processos de mercado com a utilização de tais dados, muitas vezes, sem consentimento. O objetivo principal do artigo é apontar as questões decorrentes, não somente jurídicas, da interação da Internet das Coisas (IoT) com o processamento de dados pessoais na economia digital consumista atual. Como metodologia foi realizada uma pesquisa qualitativa com revisão bibliográfica juntamente com pesquisa preliminar das realidades de proteção de dados dos países da América Latina. Com a pesquisa obtivemos o resultado de que apenas seis países latino-americanos aprovaram legislação de proteção de dados e que a Internet das Coisas é um fenômeno destinado a mudar nosso futuro. Concluiu-se que a promulgação de marcos regulatórios locais é relevante, mas com alcance limitado e, com isto, apontou-se a necessidade de consenso entre todos os Estados a nível global para construção de regulação internacional tendo em conta a salvaguarda da segurança dos usuários e a proteção contra risco de divulgação sem consentimento o que vai influenciar no aumento ou não do consumo.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Rodrigo Miguel Dos Santos 09-02-2021 12:50:35

Tema consistente, traz aspectos regulatórios para compreender a dinâmica entre tecnologia, privacidade e consumo.

Foto do Usuário Danielle Pereira Lovatto 09-02-2021 12:50:35

Excelente trabalho que aborda uma temática muito atual e interessante.

Foto do Usuário Cleide Machado Bleck 09-02-2021 12:50:35

O tema é relevante principalmente num cenário onde as relações via internet foram ainda mais solicitadas. Os negócios agora mais do que nunca contam com as ferramentas e informações digitais para manterem a roda da economia funcionando, e as pessoas para manterem seus relacionamentos a distancia. Dentro desta realidade: Como os autores enxergam a responsabilidade dos órgãos competentes na atuação frente a garantir a segurança das informações?

Foto do Usuário Luiz Rodolfo França Pinheiro 09-02-2021 12:50:35

A IoT realmente está tomando conta das nossas vidas e é um assunto muito interessante a ser proposto, principalmente com esse viés abordado da questão da segurança. Sugestão: alguns itens incluídos no Referencial Teórico podem ser deslocados para os Resultados, tais como o item 2.5, 2.8 e 2.9, por exemplo. Pergunta: Como a internet das coisas pode ser um caminho para o desenvolvimento econômico dos países?

Foto do Usuário Juliana Bárbara Moraes 09-02-2021 12:50:35

O trabalho possui tema relevante e contemporâneo, com a utilização de metodologia coerente com os propósitos do trabalho, sendo que os resultados foram satisfatórios. Quais os principais fatores que levaram os autores a inferir que o Estado teria interesse em promover restrições com finalidade de proteção da privacidade dos dados de usuários?

Foto do Usuário Vanessa Aparecida Candido 09-02-2021 12:50:35

Tema de extrema relevância em nosso contexto atual. Excelente trabalho!