DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DE PLANTAS DE SOJA CULTIVADAS EM SISTEMA DE SEMEADURA DIRETA

DOCUMENTAÇÃO

Tema: Agricultura

Acessos neste artigo: 8


Certificado de Publicação:
Não disponível
Certificado de Participação:
Não disponível

COMPARTILHE SEU TRABALHO

AUTORIA

Nardélio Teixeira Dos Santos , Geraldo Acácio Mabasso , Anamari Viegas De Araujo Motomiya , Egas Jose Armando

ABSTRACT
A soja é, dentre as culturas de grãos, a que ocupa um dos lugares de destaque ao lado do milho, cujos níveis de produção e produtividade têm crescido no Brasil, colocando-o a competir em pé de igualdade com os Estados Unidos da América que ocupam o primeiro lugar. O uso de semente de qualidade e o bom estabelecimento das plântulas asseguram o pleno desempenho das culturas, sendo crescente a preocupação em sistemas de manejo do solo e semeadura que não causem muito revolvimento do solo. Isto reduz custos e proporciona melhorias na estrutura do solo; no entanto, é preciso assegurar que a semeadura seja adequada para proporcionar um bom desempenho à cultura. Sob esta ótica, este trabalho objetivou avaliar a distribuição espacial das plântulas de soja semeadas em condições de plantio direto (sem mobilização do solo), tendo em vista a população final e a sua distribuição espacial. Foi instalado um experimento na Fazenda Experimental da UFGD, numa área de 50 m x 20 m; foram coletados dados em 192 pontos de amostragem e avaliou-se estande de plantas, espaçamentos normais, falhos e duplos, usando uma grade de amostragem sistemática de 2 m x 2 m. Os dados foram avaliados usando os pacotes estatísticos Sisvar 5.6 e GS+ 7.0, através da estatística descritiva e geoestatística (modelos teóricos de semivariogramas, índice de dependência espacial e krigagem ordinária). Dos resultados obtidos, concluiu-se que houve dependência espacial moderada para todas as variáveis estudadas. O estande de plantas correlacionou-se de forma forte e negativa com os espaçamentos falhos enquanto os espaçamentos normais correlacionaram-se de forma negativa com os espaçamentos duplos e falhos.

Para participar do debate deste artigo, .


COMENTÁRIOS
Foto do Usuário Fabio Miranda De Alencar 09-02-2021 12:50:35

O documento não foi anexado ao sistema, peço que adicione-o.

Foto do Usuário Junior Santana Girardi 09-02-2021 12:50:35

De maneira geral, artigo bem estruturado e apresentado. Conforme solicitação do comitê organizador, como sugestão, acrescentar brevemente discussão dos resultados no resumo, adicionar o documento no sistema, falta da descrição nos materiais e métodos. E a pergunta, em sua opinião, a maior velocidade na semeadura pode aumenta os espaços falhos e duplos, e comprometer a produtividade? E por fim, parabéns pelo artigo. Dá uma olhada no meu artigo ''VARIABILIDADE ESPACIAL DA DISTRIBUIÇÃO DE PALHA DA COLHEDORA RELACIONADA A EMERGÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS''

Foto do Usuário Antoni Wallace Marcos 09-02-2021 12:50:35

Trabalho bem escrito e de fácil leitura com coerência do objetivo com os resultados obtidos.

Foto do Usuário Diandra Pinto Della Flora 09-02-2021 12:50:35

O trabalho apresenta tema relevante e está apto para ser publicado.

Foto do Usuário Wellington Ribeiro Souza 09-02-2021 12:50:35

O tema é bem relevante e atual. Poderiam talvez, diminuir um pouco o resumo, diminuindo a introdução e dando mais enfase nos resultados. Talvez fazer um trabalho junto com o plantio convencional para ver a diferença entre os mesmos.